Letícia Calmon Drummond Amorim*

 

O autismo é considerado uma síndrome comportamental de base biológica com múltiplas etiologias (Gilberg, 1990). A noção de espectro autístico foi cunhada por Wing (1988) onde ela afirma que os sintomas de autismo variam de acordo com o grau de comprometimento cognitivo. Segundo o DSM V(APA) os critérios atuais para diagnóstico de Transtornos do Espectro do Autismo (TEA) são:

1)      déficits persistentes na comunicação social e nas interações, clinicamente significativos manifestados por: déficits persistentes  na comunicação não-verbal e verbal utilizada para a interação social; falta de reciprocidade social; incapacidade de desenvolver e manter relacionamentos com seus pares apropriados ao nível de desenvolvimento.

2)      padrões restritos e repetitivos de comportamento, interesses e atividades, manifestados por pelo menos dois dos seguintes: estereotipias ou comportamentos verbais estereotipados ou comportamento sensorial incomum, aderência excessiva a rotinas e padrões de comportamento ritualizados, interesses restritos.

3)      Os sintomas devem estar presentes na primeira infância (mas podem não se manifestar plenamente, até que as demandas sociais ultrapassem as capacidades limitadas).

4)      Os sintomas causam limitação e prejuízo no funcionamento diário.

O diagnóstico de autismo é eminentemente clínico, ou seja, não existem marcadores biológicos ou exames para detectá-lo, porém exames laboratoriais são solicitados para investigar etiologia e/ou comorbidades.

O tratamento envolve uma equipe interdisciplinar (psiquiatra, neuropediatra, fono, TO, psicóloga...) e as abordagens cognitivo-comportamentais são as que apresentam maiores evidências de eficácia.

*psiquiatra da infância e adolescência

 

Referências:

-APA DSM5: The Future of Psychiatric Diagnosis. Disponível em: http://www.dsm5.org/ProposedRevision/Pages/proposdrevision.aspx?rid=94.

-Gillberg C. Infantile Autism: Diagnosis and treatment. Acta Psychiat Scand. 1990; 81: 209-15.

Wing L. The Autistic Continuum. In: Wing L, editora. Aspects of Autism: Biological Research. London: Royal College of Psychiatrists and The National autistic Society, 1988. p. 5-8.